03 dezembro 2010

A HOMEOPATIA, O ENVELHECER E A FÍSICA QUÂNTICA

Um novo olhar sobre o envelhecimento, sob a perspectiva da física quântica, e a contribuição da homeopatia para uma vida mais saudável

Um pouco de história

A homeopatia é uma especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina desde 1980, sendo exercida exclusivamente por médicos, dentistas, farmacêuticos e veterinários. Surgiu em 1796, a partir da publicação de um artigo original do médico alemão Samuel Hahnemann (1755 – 1843), "Ensaio sobre um novo princípio para descobrir as virtudes curativas das substâncias medicamentosas”. Hahnemann era um médico com qualidades de cientista. Depois de formado, sentiu-se profundamente frustrado com a prática médica de sua época, onde usavam-se as sangrias, os purgantes e as sanguessugas como meios de tratamento, sem resultados satisfatórios e com intensos efeitos colaterais. Decidiu, então, abandonar a medicina e dedicar-se à tradução. Em 1790, ao traduzir a obra “A treatise of Matéria Médica”, do médico e professor escocês William Cullen, Hahnemann despertou para a idéia que se solidificou como a Lei dos Semelhantes. No livro, discutiam-se os efeitos da substância Quinina (Cinchona officinalis) no tratamento da malária.
Movido por curiosidade e intuição científicas, Hahnemann decidiu provar, nele mesmo, o medicamento. Após ingerir Quinina, observou em si o aparecimento de sintomas semelhantes aos das crises febris da malária (esfriamento das extremidades, rubor facial, sonolência, prostração, pulsações na cabeça) e seu desaparecimento ao cessar o uso. Repetiu várias vezes o experimento e depois continuou fazendo provas com arsênico, mercúrio, ópio e outras substâncias. Inspirado pelo trabalho do médico, anatomista, botânico, fisiologista, e poeta suíço Albretch Von Haller (1708–1777) – considerado um dos maiores fisiologistas modernos e criador da fisiologia experimental – que preconizava o estudo do medicamento na pessoa saudável, antes de ser ministrada ao doente, Hahnemann incluiu seus parentes nas experiências, observando e anotando pormenorizadamente os resultados. Após vários anos de experimentos e pesquisas, publicou seu primeiro trabalho sobre o tema em 1796.
Para o preparo dos medicamentos, desenvolveu um método próprio: as ultradiluições e as dinamizações homeopáticas. As doses infinitesimais são obtidas diluindo-se uma parte da substância em 99 partes de água (ou solução hidro-alcoólica), seguindo-se da dinamização, que consiste na agitação vigorosa do frasco. Este método permite a liberação da essência medicamentosa contida na substância, tornando-a um medicamento.
Assim, definiu as bases filosóficas de seu novo modelo terapêutico, criando as Leis da Homeopatia: a experimentação no homem sadio; as doses infinitesimais e o princípio da semelhança. Além desses princípios, Hahnemann definiu como base da homeopatia a observação do paciente como um todo, incluindo os sintomas mentais e físicos: tratar o indivíduo doente, e não a doença. Hoje, usamos o termo “holístico” para designar a abordagem do homem como ser integral, formado de corpo, mente e espírito.

A homeopatia hoje

Neste ponto, podemos fazer uma correlação com as idéias da física quântica, para respondermos a uma pergunta recorrente: como age a homeopatia?
O medicamento homeopático não age por mecanismos bioquímicos ou em nível molecular, como os medicamentos alopáticos. O que ocorre é uma ressonância vibratória entre a energia do medicamento e a energia do indivíduo. Assim, temos a possibilidade de modificar o padrão vibratório que está em desequilíbrio (manifestando-se como doenças), permitindo que o próprio organismo corrija o padrão “equivocado”, e o indivíduo retorne ao seu estado de harmonia, recuperando a saúde (física, mental e espiritual).
Segundo a física quântica, tudo no universo gira em torno de energia, ondas, raios, correntes e vibrações, do movimento de prótons, elétrons, nêutrons, fótons e outras partículas atômicas, subatômicas e elementares. Quanto mais o homem investiga a natureza, mais se convence de que vive num reino de ondas, transfiguradas em luz, eletricidade, calor ou matéria, segundo o padrão vibratório em que se exprime.
Nós somos energia. A diferença entre aquilo que vemos e aquilo que não conseguimos tocar ou perceber está relacionada ao fato de que os nossos sentidos captam somente aquilo que está em nossa frequência vibratória – podemos dizer que o nosso mundo se restringe ao que nossos sentidos podem captar. O que nos parece matéria seria um campo de energia magnética vibrando na frequência de percepção daquele que observa.

Ciência e espiritualidade em sintonia

Hoje, um dos temas mais debatidos e estudados sob o prisma da física quântica é a terceira inteligência, a inteligência espiritual (a primeira inteligência está relacionada à capacidade intelectual, e a segunda é a inteligência emocional). A inteligência espiritual, segundo a filósofa e física americana Danah Zohar, é a que leva o ser humano a criar situações novas – a perceber, por exemplo, a necessidade de mudar de rumo, de investir mais num projeto ou de dedicar mais tempo à família, nos leva a indagar se essa é a vida que queremos levar.
A ciência busca respostas que preencham as lacunas deixadas no campo emocional dos indivíduos, decorrentes do modelo capitalista e materialista. A valorização da inteligência espiritual vem resgatar nossa essência humana, através do desenvolvimento de nossa capacidade de encontrar um propósito para a vida e de lidar com os problemas existenciais que surgem em momentos de fracasso, de rompimento e de dor.
Sabe-se, atualmente, que as conexões entre os neurônios do cérebro determinam nossa capacidade mental, e que nossas experiências determinam que tipo de conexões faremos. Até pouco tempo atrás, acreditava-se que esse processo se completava quando o indivíduo tinha por volta de 18 anos. A partir daí, a capacidade cerebral só tinha um caminho - ladeira abaixo. "Hoje, os neurocientistas sabem que pessoas de mais de 90 anos ainda têm condições de mudar as conexões em seus cérebros", afirma Danah Zohar. Novas conexões, relacionadas a novos paradigmas, levam a novas maneiras de ver o mundo. Isso significa uma grande mudança também em nossa sociedade, na maneira como encaramos o envelhecimento.

Envelhecimento: novas perspectivas

É certo que as células sofrem um desgaste natural com o passar dos anos. Porém, no campo emocional e no nível das idéias, ocorre o contrário. Quanto mais experiência de vida, quanto mais a mente estiver aberta para o novo, quanto mais projetos a pessoa tiver para desenvolver, mais viva ela estará. Ampliará a capacidade de mudanças em suas conexões neuronais.
O processo de envelhecimento é doloroso para a maioria das pessoas de nossa sociedade, onde predominam o consumismo, o culto à beleza e à forma física, em detrimento do conhecimento intelectual, das emoções e da espiritualidade. Porém, as propostas de mudanças de paradigmas vêm trazer um alento àqueles que não compactuam com as “velhas idéias”.
Hahnemann, em sua época, chegou a ser considerado louco e foi banido dos meios acadêmicos, por suas idéias estarem à frente do seu tempo. Porém, vemos que tudo o que foi descoberto por ele, no final do século XVIII, agora encontra uma explicação “lógica”, que supre nossas necessidades científicas, apegados ainda que somos às idéias Newtonianas em relação à matéria.
As novas idéias em geral levam um certo tempo para serem digeridas pelo “homem comum”. Mas não cabe mais ficarmos parados, esperando que as coisas aconteçam, vendo a vida passar ao nosso redor. Temos que agir, pensar e sentir o quanto pudermos, senão, correremos o risco de ficarmos para trás. Vamos nos conectar a esta nova onda de pensamento que está invadindo o mundo científico, o campo das idéias, dos sentimentos, das emoções e da espiritualidade. Utilizemos todos os meios que estão ao nosso alcance (que não são poucos), para nos tornarmos pessoas melhores, mais saudáveis e felizes.
Não é por acaso que as terapias alternativas vêm ganhando cada vez mais espaço. Elas se ampliam de acordo com a demanda por serviços e tratamentos que estejam em sintonia com as necessidades daqueles que se encontram doentes e procuram métodos menos agressivos, sem efeitos colaterais, e que procurem curar o que realmente está doente, que é o nosso interior. A doença do corpo físico exprime um desequilíbrio interno, das emoções, dos sentimentos e dos pensamentos. Da mesma forma, uma sociedade doente demonstra que os indivíduos que a compõem estão doentes.
Então, que tal seguirmos o exemplo de Mahatma Ghandi, que propôs: “Seja a mudança que você quer para o mundo”. Não importa a sua idade, nunca é tarde para mudar, afinal todos queremos o mesmo: a paz no mundo, que conseguiremos através da conquista de nossa paz interior.

16 novembro 2010

As Terapias Integrativas no Exército Brasileiro

       As terapias alternativas, que englobam todas as práticas médicas e não médicas que envolvam a abordagem integral do ser humano, com uma visão global do indivíduo doente, ao invés de focar somente a doença, vem ganhando espaço gradativamente, desde a década de 70, no século passado.

       Acompanhando a tendência mundial de adoção das práticas integrativas, o Exército Brasileiro inaugurou em 2004 o Núcleo de Estudos em Terapias Integradas - NETI, situado no Hospital Militar de Área de Recife, e criado pelo Subtenente Arlindo Rossi, com o apoio do alto escalão da Força Terrestre. Neste local, é oferecido aos militares e seus dependentes tratamentos de shiatsu, osteopatia, acupuntura, auriculoterapia, massagem Ayurvédica, reflexologia podal, Reiki, e previsão para inclusão de homeopatia brevemente.

        Em abril e maio de 2010, foi realizado o primeiro curso para capacitação de multiplicadores do NETI, visando a formação de militares - médicos, dentistas, farmacêuticos e enfermeiros -  com a missão de difundir este núcleo pelas unidades militares de saúde em várias regiões do Brasil.

         Estes dados mostram o grande esforço que vem sendo realizado por alguns militares no sentido de modernizar o Serviço de Saúde do Exército, e assim, acompanhar as mudanças que vem ocorrendo no mundo.
  

27 outubro 2010

26 outubro 2010

Pilão Quântico no Twitter

Mais uma opção para seguir o blog Pilão Quântico:
A nova conta do @pilaoquantico no twitter está vinculada ao blog, e novas postagens aqui serão divulgadas por lá.
 

25 outubro 2010

Dica de saúde: como curar-se da insônia

   A insônia é uma das doenças mais frequentes na atualidade, decorrente de várias causas, incluindo o estresse da vida diária, o grande número de estímulos visuais e auditivos - música  e televisão em alto volume, ruído de carros nas ruas, uso de i-pods e similares - questões emocionais, financeiras e espirituais. Aliado a isso, temos uma carga horária de trabalho elevada, compromissos sociais, contas a pagar, e muitas tarefas cotidianas a cumprir. O dia de 24 horas torna-se insuficiente para cumprirmos todas as metas. O resultado é que vamos nos deitar tarde, com a cabeça cheia de problemas, e não conseguimos "desligar" a mente para entrarmos num sono profundo e reparador.

   Um dos métodos mais eficazes para tratar este tipo de insônia é a meditação, que pode ser entendida como um processo utilizado para silenciar a mente. Existem várias modalidades, praticamente todas com origem nas filosofias orientais, e cada um deve procurar a técnica à qual se adapte melhor.

   Como sugestão, indico o livro "Estresse e Hipertensão - Coleção Harmonizando o Espírito", do médico gaúcho José Carlos Jotz, que vem acompanhado de um CD de prática de meditação. Gosto muito do exercício contido no CD, pois é uma técnica fácil de ser praticada por qualquer pessoa, mesmo as que nunca fizeram exercícios semelhantes. É só colocar para tocar e em poucos minutos você estará meditando.

   Escrevo sobre o tema não só como médica, clínica geral e homeopata, mas também baseada em minha experiência pessoal. Tive um tipo de insônia classificada inicialmente como reativa, que se cronificou. Me submeti a vários tratamentos, desde medicamentos alopáticos (que considero a pior opção, que só deve ser utilizada no início do processo, durante o quadro agudo, e que deve ser descontinuado o quanto antes for possível); homeopáticos (ótima opção para tratar a origem do problema, de forma gradual e permanente, porém, às vezes lenta para os casos agudos); acupuntura e auriculoterapia (ideal para equilíbrio energético, para harmonizar as funções orgânicas, porém de efeito temporário, exigindo sessões semanais ou mais); Reiki ; passe magnético em casas espíritas; desenvolvimento mediúnico; florais de Bach; constelação familiar; Body talk; psicanálise e radiestesia.

     O somatório das experiências foi fundamental na melhora da doença, mas considero a prática da meditação a contribuição mais eficiente para o controle permanente e evitar a  recorrência.Trata-se da incorporação de um novo hábito de vida, que permite momentos de relaxamento da mente, e o contato com a nossa consciência, ou essência espiritual. Isto resulta em mais segurança, paz e harmonia espiritual, garantindo as condições necessárias para a realização da mudança de padrões, ou mudança de paradigmas, de modelos que não nos servem mais,  permitindo a conquista da verdadeira cura, que é a cura espiritual, através da adequação dos verdadeiros propósitos da consciência ao funcionamento da mente, resultando em equilíbrio no nível físico.
 

Pensamento da semana

Sejamos como o sol, que não exige nenhuma recompensa, não espera lucros, nem elogios, nem fama... simplesmente BRILHA!

23 agosto 2010

Terapia com cristais quânticos

A terapia com cristais quânticos (também chamados de cristais radiônicos) surgiu em 2008, fruto do trabalho de pesquisa do engenheiro paulista Raul Breves, formado em radiestesia e acupuntura (http://www.medichina.com.br/). Conheci este trabalho em um curso realizado no Hospital Militar de Recife, do Exército, para formação de multiplicadores do Núcleo de Estudos em Terapias Integradas. Este núcleo existe desde 2004, e lá são realizados atendimentos nas áreas de acupuntura, Reiki, auriculoterapia, osteopatia, shiatsu, medicina Ayurvédica, reflexologia podal e outras práticas integrativas.

Neste curso foram ensinadas várias técnicas de tratamento classificadas como terapias integradas, cujo nome vem do inglês "integrative medicine" . Estas terapias têm em comum o fato de considerarem o homem como um ser integral, tanto na saúde como na doença. Assim, quando o homem adoece, é o todo que está doente e não as partes. Partindo deste princípio, para corrigir o problema e restituir a saúde, o tratamento deve abranger o ser humano inteiro, formado por corpo físico, que é a parte material e espírito (alma, eu superior, eu divino) que representa a parte imaterial.

Os cristais quânticos são cristais de quartzo que recebem uma programação energética, feita através de uma técnica que utiliza aparelhos de radiônica, conhecimentos de medicina tradicional chinesa e radiestesia. O tratamento consiste na aplicação destes cristais em pontos de auriculoterapia. A grande diferança em relação à auriculoterapia chinesa e francesa é quanto ao resultado obtido com a aplicação destes cristais específicos.

Por meio desta prática consegue-se eliminar mágoas antigas, traumas e vivências desagradáveis que tenham ficado armazenadas na memória afetiva (ou campo emocional) do indivíduo. O paciente recorda o trauma sofrido, vivencia as sensações passadas como se estivessem ocorrendo no presente. Neste momento são aplicados os cristais. As reações são impressionantes. O choro cessa, o coração volta aos batimentos normais, e todas as emoções negativas desaparecem, em poucos minutos. O paciente pode, então, recordar os fatos passados, porém agora sem a ligação com os sentimentos ruins. Relembra os fatos, mas os desvincula das emoções às quais estavam associados.

Ao final da sessão, o presente do terapeuta.... o sorriso do paciente depois do choro. Não tem preço, é um momento impagável.

Tenho utilizado esta técnica com resultados surpreendentes, alguns dos quais compartilho com vocês neste blog.

Trata-se de uma técnica recente, que tem tudo para crescer e ganhar o mundo. É um presente de Deus para nós. Podemos poupar muitos anos de sofrimento ao apagar, em poucos minutos, as mágoas contidas nos registros de nosso corpo emocional (astral).

Mas temos que ter cuidado em não abandonar outras técnicas de cura maravilhosas, que podem e devem ser usadas simultaneamente. É como remexer em uma ferida, para poder cicatrizá-la. Mexemos nas feridas emocionais, e estas também precisam de um período de "cicatrização". Este tempo varia de uma pessoa para outra, e é indispensável o acompanhamento com o médico ou com o terapeuta para dar continuidade ao processo de tratamento.

A cura verdadeira só pode ser obtida pelo próprio paciente. O médico é um facilitador. Ele pode, através das técnicas e dos medicamentos ajudar o indivíduo a recuperar sua saúde, a retornar ao seu estado de equilíbrio. Portanto, quando for se submeter a um tratamento, esteja de corpo e alma, desejando fortemente a cura, que os resultados virão.

Namastê!

Olá, seja bem vindo ao blog Pilão Quântico!

Este é um projeto nascido do entusiasmo e do desejo de espalhar a luz.
Podemos dizer que é um coletivo, palavra em moda hoje entre os antenados ;)

Eu, Aline Mendes, arquiteta e mãe de três, irmã da Dra. Paula e igualmente alternativa, criei o blog, registrei o domínio, configurei, fiz o parto! Sou sua primeira e mais fiel paciente e fã, e achei que as idéias brilhantes da minha irmãzinha não podiam ficar restritas aos ouvidos mais íntimos.

Nossa irmã mais velha, Cacau Mendes, também brilhante, claro, é uma inspiradíssima designer. E foi dela a criação da mágica imagem do pilão envolto em um turbilhão de energia, depois traduzida em palavras.

Inspiração, sincronicidade, energia.

Leia e delicie-se!