13 junho 2014

Mitos e Verdades sobre a Homeopatia

Descubra se tratamento é lento, tem contraindicação ou efeitos colaterais


A homeopatia é uma especialidade médica de 218 anos. Tem como características principais a utilização de medicamentos em doses ultradiluídas e a abordagem holística do paciente - no momento da prescrição, levam-se em conta os sintomas físicos e emocionais, além dos aspectos sociais, familiares e ambientais. Essa abordagem individualizada é um dos fatores que contribui para os bons resultados obtidos com o tratamento.

É amplamente utilizada em vários países do mundo, com destaque para Índia, Inglaterra, França e Alemanha. No Brasil, começou a ser praticada no início do século XIX, por um médico homeopata francês, Benoit Mure, que trouxe a técnica para o Rio de Janeiro. No entanto, ao longo desse tempo surgiram questionamentos relacionados à sua prática. Esclareça abaixo algumas dúvidas sobre a homeopatia e entenda o que é mito ou verdade a respeito do tratamento.

O RESULTADO DA HOMEOPATIA É LENTO?

Depende. O remédio homeopático estimula as defesas do próprio corpo a combaterem os sintomas da doença. Sendo assim, o tempo de resposta vai depender, em grande parte, das condições do organismo. Uma criança ou um adulto jovem acometido por uma doença aguda, como uma amigdalite, por exemplo, reage rapidamente ao tratamento. Já um doente terminal, com câncer, vai ter uma resposta mais lenta, pois seu sistema imunológico está muito debilitado.

Quando a homeopatia é utilizada para tratar doenças crônicas, como bronquite, asma, doenças reumáticas, psiquiátricas e autoimunes, ocorre uma diminuição gradativa do número de crises, até que se chegue à sua remissão completa.

A HOMEOPATIA PODE SER UTILIZADA JUNTO COM OUTROS REMÉDIOS?

Sim. Em casos de pneumonia, sinusite e abscessos cutâneos, o remédio homeopático pode ser administrado junto com o antibiótico. A melhora do paciente ocorre de forma mais rápida, abreviando o tempo de doença.

Já em doenças reumáticas, como artrite reumatoide e fibromialgia, a administração do medicamento homeopático é feita simultaneamente à alopatia no início do tratamento, até que o paciente consiga interromper o uso de corticoides e anti-inflamatórios. O mesmo acontece no tratamento de doenças psiquiátricas, como depressão, ansiedade e síndrome do pânico, no qual a interrupção de antidepressivos e ansiolíticos deve ser feita de maneira gradual.

A HOMEOPATIA TRATA O DOENTE, NÃO A DOENÇA

Verdade. A escolha do medicamento homeopático se baseia no conjunto de sintomas característicos do paciente, incluindo os mentais e os físicos, bem como aspectos ambientais, sociais e familiares que possam estar relacionados com a doença atual. Isso acontece mesmo em casos agudos, como sinusite, pneumonia ou gastroenterite (diarreia e vômitos). Por isso, o tratamento homeopático é individualizado.

HOMEOPATIA NÃO APRESENTA EFEITOS COLATERAIS

Depende. A utilização de doses ultra diluídas atenua muito o risco de efeitos indesejados. Mesmo assim, doses erradas podem provocar efeitos adversos. Respeitando-se a prescrição médica, esse risco praticamente inexiste e a melhora dos sintomas ocorre de forma rápida, suave e duradoura.

QUALQUER PESSOA PODE USAR HOMEOPATIA?

Sim. Desde bebês até idosos, todos podem se beneficiar do tratamento. Em crianças, prescrevem-se glóbulos (à base de sacarose) ou tabletes (feitos de lactose). Ambos são docinhos e têm ótima aceitação dos pequenos. As gotas (de solução hidroalcoólica) são as preferidas para idosos com dificuldade de ingerir medicamentos, diabéticos e pacientes com intolerância à lactose. A homeopatia também pode ser prescrita como pomadas, cremes e óvulos vaginais.

Se ficou interessado em começar a fazer uso da homeopatia, procure um médico especializado na sua região, para orientá-lo da melhor forma possível.

Artigo publicado originalmente no Portal Personare:http://www.personare.com.br/mitos-e-verdades-sobre-homeopatia-m5083